quarta-feira, 20 de agosto de 2014

PSB oficializa candidatura de Marina Silva para Presidência




Fernando Diniz,
Direto de Brasília


O PSB oficializou nesta quarta-feira o nome da ex-senadora Marina Silva como candidata a presidente da República. O anúncio ocorre uma semana após o acidente aéreo que matou o então candidato Eduardo Campos.


Com a tragédia, a então candidata a vice assumiu a cabeça de chapa e o PSB indicou o líder da legenda na Câmara, Beto Albuquerque (RS), para vice. O nome do parlamentar foi anunciado ontem e ganhou força pela proximidade com Eduardo Campos e Marina Silva, além de ter se empenhado pela candidatura própria do partido e ter a simpatia do setor do agronegócio, onde Marina enfrenta resistência.


Outro fator que pesou na escolha de Beto Albuquerque é o fato de ele ser um nome de forte identificação com o partido. Dirigentes da legenda reconhecem que com a morte de Eduardo Campos, a cabeça de chapa fica com a Rede Sustentabilidade, partido que Marina ainda não conseguiu viabilizar. A ex-senadora se filiou temporariamente ao PSB, a convite de Campos, enquanto não consegue registrar sua própria legenda.


“Chego ao PSB com sentido de responsabilidade, com compromisso assumido nesses dez meses de intenso trabalho e de esforço político para mudar o Brasil ao lado de Eduardo Campos. E com a disposição de honrar esse compromisso, de levar adiante juntamente todos aqueles que estavam construindo esse projeto ao lado de Eduardo Campos”, afirmou a nova candidata à Presidência.


Mudanças na coordenação de campanha
Com a entrada de Marina na cabeça da chapa, o porta-voz da Rede Sustentabilidade, Walter Feldman, substituirá Bazileu Margarido, da Executiva Nacional do projeto partidário de Marina, que vai para o comitê financeiro. Carlos Siqueira, primeiro-secretário do PSB, participará da coordenação junto de Feldman.


Senadora e ministra
Maria Osmarina Maria Silva Vaz de Lima, 56 anos, foi eleita pela primeira vez ao Senado pelo Estado do Acre em 1994, quando era filiada ao PT. A parlamentar foi reeleita em 2002, mas pediu licença do cargo para assumir o Ministério do Meio Ambiente no governo Luiz Inácio Lula da Silva até 2008, quando pediu demissão do cargo.


Nascida em uma região conhecida como Breu Velho, no Seringal Bagaço, Marina começou a trabalhar aos 16 anos como empregada doméstica. Fez supletivo e concluiu a faculdade de História aos 26 anos, quando se filiou ao PT. Marina deixou o partido e foi para o PV em 2009, legenda pela qual concorreu à Presidência em 2010, chegando em terceiro lugar com 19,6 milhões de voto, 19,3% do eleitorado.


A candidata deixou o PV em 2011 para formar seu novo partido, a Rede Sustentabilidade, mas o registro da legenda foi negado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por não ter alcançado o número mínimo de assinaturas de eleitores. O ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos convidou Marina para entrar no PSB, oferecendo abrigo para a legenda e oficializou a ambientalista como vice, para dar fôlego a umaPresidência

ia eleitoral.

No Juruá petistas aderem a campanha de César Messias


Não é exagero afirmar que o vice-governador César Messias (PSB) venha o ser o deputado federal mais bem votado dessa legislatura. No Juruá sou capaz de apostar que ele tira três mil votos a mais que o segundo colocado. A maré está tão boa que até os petistas aderiram a campanha do psdebista. 

Por Leandro Matthaus

Leandro23333@gmail.com

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Deputado Federal Beto Albuquerque é indicado vice da Marina Silva

Deputado é apontado como um nome orgânico do partido e mantém boa interlocução com Marina Silva; reunião da Executiva será nesta quarta-feira.

Talita Fernandes e Marcela Mattos 



O deputado Beto Albuquerque, futuro vice de Marina Silva (Zanone Fraissat/Folhapress)

O comando do PSB decidiu indicar o deputado gaúcho Beto Albuquerque, de 51 anos, para a vice na chapa que será encabeçada pela ex-senadora Marina Silva à Presidência da República. A decisão será oficializada na reunião da Executiva Nacional da sigla, agendada para esta quarta-feira, em Brasília. No encontro, o PSB também formalizará a indicação de Marina como substituta de Eduardo Campos, morto em acidente aéreo na semana passada.

O nome de Beto Albuquerque era apontado como favorito desde as primeiras conversas – ele só não seria escolhido se Renata Campos, viúva do ex-governador, aceitasse o posto. Para a cúpula do PSB, o deputado preenche os principais requisitos para a vaga: era braço direito de Campos, tem boa relação com a ex-senadora e é apontado como um nome orgânico do partido – está filiado ao PSB desde 1986.

Renata Campos chegou a ser procurada pelos socialistas, mas recusou a proposta porque quer priorizar sua família neste momento – o filho mais novo, Miguel, tem seis meses.

Leia também: Na estreia da TV, PT troca gerente por Dilma na cozinha

Albuquerque aproximou-se de Marina Silva em outubro do ano passado, quando o quase partido da ex-senadora, a Rede Sustentabilidade, teve o registro negado pela Justiça Eleitoral. O deputado acompanhou as primeiras negociações ao lado de Campos e concordou que a aliança com a ex-senadora daria maior respaldo ao projeto do pernambucano.

Gaúcho de Passo Fundo, Albuquerque está em seu quarto mandato na Câmara e tentaria, neste ano, uma vaga ao Senado. A candidatura, entretanto, não havia decolado até agora – ele aparece em terceiro lugar nas pesquisas –, o que facilitou para que ele abrisse mão da disputa.

Assim como Campos e Marina, Beto Albuquerque orbitou os governos petistas. Na Câmara, foi vice-líder do ex-presidente Lula. À época, Beto era porta-voz de Lula sobre temas espinhosos, como o mensalão e a CPI dos Correios. Também foi o socialista quem anunciou a assinatura da medida provisória que autorizaria o plantio de soja transgênica na safra 2004/2005. À época, ministra do Meio Ambiente Marina Silva foi uma das principais oponentes ao projeto. Agora, uma de suas tarefas será justamente ser mediador de temas sensíveis, como os conflitos entre os ambientalistas "marineiros" e setores ligados ao agronegócio aos quais Campos se aproximou para fazer alianças nos estados. No desembarque do governo petista, Beto Albuquerque assumiu a linha de frente do partido dentro e fora do Congresso Nacional, tornando-se um dos principais articuladores da campanha de Eduardo Campos. Na campanha, também assumiu posição mais combativa, principalmente em relação ao PT. Quando representantes do partido chamaram o pernambucano de “tolo” e “playboy mimado”, coube ao parlamentar gaúcho assumir a reação: anunciou que o partido, até então em posição de independência, passaria a ser oposição no Congresso Nacional.

Maioria dos deputados estaduais do Acre ficou mais rico nos últimos 4 anos





Não é a toa que de quatro em quatro anos centenas de pessoas pleiteam uma das 24 cadeiras da Assembleia Legislativa do Acre. De fato, a concorrência é grande, mas as vantagens de ser um integrante do legislativo, seja da oposição ou situação, são inúmeras.

Dos 24 deputados estaduais da Assembleia Legislativa do Acre, 15 tentam a reeleição, quatro disputam vagas na Câmara Federal e uma disputa a vice-governadoria numa chapa majoritária. Os deputados Geraldo Pereira (PT), Helder Paiva (PEN), Lira Moraes (PEN) e Walter Prado (PEN) resolveram desistir das eleições este ano.

Apesar da maioria dos parlamentares buscarem um lugar ao sol, o ac24horas mostra através de uma pesquisa realizada no banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral – TSE -, que cinco parlamentares na atual legislatura tiveram seus patrimônios diluídos nos últimos anos. Os dois principais que lideram as percas foram os deputados Chico Viga (PTB) e Toinha Vieira (PSDB).

De acordo com a declaração de bens disponibilizadas no TSE, Chico Viga tinha, em 2010, pouco mais de meio milhão - R$ 525 mil – em bens, mas em 2014 o parlamentar viu sua fortuna amofinar e cair para R$ 80 mil. Atualmente, Viga declarou ter apenas uma residência no valor de R$ 50 mil e um veiculo de R$ 30 mil.

Já Toinha Vieira viu seu patrimônio de R$ 544 mil declarados a justiça eleitoral em 2010 se dissipar nos últimos 4 anos. Atualmente, a deputada tucana declarou ter cerca de R$ R$ 231 mil em bens, sendo uma área rural de 100 hectares o seu principal bem, avaliada em R$ 120 mil.

Outro que também apresentou perdas no patrimônio foi o deputado Eduardo Farias (PCdoB). De acordo com o TSE, em 2010 o comunista tinha cerca de R$ 216 mil em bens declarados e agora, em 2014, o valor caiu para R$ 198 mil.

Já o petista Jonas Lima, que em 2010 tinha patrimônio declarado na casa dos R$ 570 mil, em 2014 apresentou uma queda de R$ 150 mil em sua declaração. Lima declarou nestas eleições ter cerca R$ 410 mil em bens.

Tentando uma vaga na câmara federal, o deputado Major Rocha (PSDB), segundo o TSE, apresentou uma perda de R$ 220 mil nos últimos 4 anos. Quando o tucano resolveu se candidatar em 2010, ele tinha cerca de R$ 650 mil em bens, mas em 2014 os valores declarados só chegam aos R$ 430 mil.

OS REIS DO GADO

Apesar de existir um número considerável de deputados que declararam ter perdido, existe um seleto grupo encabeçado pelo presidente da Assembleia Legislativa, Elson Santiago (PEN) e a deputada Antonia Sales (PMDB), que viram seus bens de multiplicarem com o passar dos anos.

Elson Santiago, por exemplo, declarou em 2010 à justiça eleitoral ter em seu nome R$ 1,4 milhão em bens. Já em 2014, mesmo sendo investidor da Telexfree e ter levado uma relativo prejuízo, o parlamentar viu sua fortuna multiplicar e passar dos R$ 2 milhões. De acordo com o TSE, Santiago declarou R$ 2,3 milhões em bens, sendo seu principal patrimônio 1.145 cabeças de gado da raça nelore.

A Antônia Sales, candidata a vice-governador pela coligação Por Um Acre Melhor, declarou a justiça eleitoral neste ano ter um patrimônio avaliado em R$ 2,7 milhões, R$ 1 milhão a mais do que a declaração de 2010, quando afirmou ao TSE ter bens avaliados em R$ 1,6 milhão. Os principais bens de Sales são duas fazendas com 2.800 cabeças de gado.

MILAGRE DA MULTIPLICAÇÃO

O Pastor Denilson Segóvia é um exemplo de quem se deu muito bem na profissão de deputado. O parlamentar que foi eleito em 2010 pelo PSDC e que tenta agora a reeleição pelo PEN comprovou nestes quatro anos o que prega para em seus cultos: o milagre da multiplicação. Em 2010, declarou ter apenas uma motocicleta no valor de R$ 9 mil e agora revelou a justiça eleitoral ter R$ R$ 330 mil, sendo seus principais bens, uma casa e uma camionete modelo Hilux.

Outro que quase chega na raia dos milionários foi o deputado Manoel Moraes (PSB). Segundo o TSE, o parlamentar declarou em 2010 ter cerca de R$ 317 mil em bens. Em 2014, esse valor tomou grandes proporções e chegou a casa dos R$ 989 mil. Grande parte do patrimônio do parlamentar corresponde a criação de 400 novilhas, casas e terras.

DESCREPÂNCIAS NAS DECLARAÇÕES

Na pesquisa feita por ac24horas no banco de dados do TSE e do UOL Eleições 2010, alguns parlamentares acreanos não declararam bens em 2010. São os casos dos deputados Astério Moreira (PEN), José Luis Tchê (PEN), Marileide Serafim (PSL) e Maria Antônia. Mas em 2014, os citados declararam possuir, respectivamente, R$ 493 mil, R$ 525 mil, R$ 591 mil e R$ 185 mil a Justiça Eleitoral.

Já o petista Ney Amorim, segundo o banco de dados do TSE, não declarou nenhum centavo em 2014. Em 2010 o parlamentar registrou no TSE cerca de R$ 170 mil em bens.



Marcos Venicios, ac24horas.com

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Menu Candidatos podem se inscrever para vagas não preenchidas no ProUni

Começam hoje (18) as inscrições para as vagas remanescentes do Programa Universidade para Todos (ProUni), da edição do segundo semestre. O candidato deve manifestar interesse pela internet, na página do ProUni. Esse procedimento é novo e as regras foram publicadas pelo Ministério da Educação na sexta-feira (15).

Podem participar os candidatos que se inscreveram, em todas as opções, em cursos cujas turmas não foram formadas, e os professores da rede pública que estiverem excercendo o magistério da educação básica.

Os prazos de inscrição variam conforme a situação do candidato. Vai até 7 de setembro para o estudante não matriculado no curso da instituição de educação superior em que deseja se inscrever para a bolsa remanescente ou, até o dia 1 ° de dezembro, para o aluno já matriculado.

A partir de quarta-feira (20), as inscrições serão abertas para os candidatos que tenham participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir da edição de 2010 e obtido, em uma mesma edição, no mínimo 450 pontos na média das notas das provas e nota na redação que não seja 0. Também nesse caso, o prazo vai até 7 de setembro para os que não têm matrícula e 1º de dezembro para os já matriculados.

O estudante inscrito deverá comparecer à instituição de ensino nos dois dias úteis seguintes ao da inscrição para comprovar as informações prestadas.

A instituição terá o dia útil seguinte ao final do prazo de comparecimento do candidato para registrar o resultado da comprovação das informações no Sistema Informatizado do ProUni (SisproUni). Caso o estudante não compareça ou a instituição não registre o preenchimento da bolsa, a mesma voltará a ser oferecida pelo sistema.

O ProUni concede bolsas de estudo integrais e parciais nas instituições privadas de ensino superior. As integrais são para os estudantes com renda bruta familiar, por pessoa, até um salário mínimo e meio. As bolsas parciais são destinadas aos candidatos com renda bruta familiar até três salários mínimos por pessoa.

O bolsista parcial poderá utilizar o Fundo de Financiamento Estudantil para custear o restante da mensalidade. No caso dos professores, é dispensada a comprovação de renda e a participação no Enem.

Esta edição do programa ofereceu 115.101 bolsas e teve 653.992 inscritos. De acordo com informações do Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior do Estado de São Paulo (Semesp), sem essa nova etapa da seleção, cerca de 2% a 3% das vagas do ProUni não eram preenchidas.


Aprovação do governo Dilma passa de 32% para 38%, aponta Datafolha

Margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Instituto ouviu 2.843 pessoas de 176 cidades em 14 e 15 de agosto.


Do G1, em Brasília


Pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira (18) mostra que a administração da presidente Dilma Rousseff (PT) tem a aprovação de 38% dos eleitores – no levantamento anterior, divulgado em 17 de julho, o índice era de 32%. O percentual de aprovação considera os entrevistados que avaliaram o governo como "bom" ou "ótimo".

A pesquisa mostra ainda que o índice dos que desaprovam a gestão, ou seja, consideraram o governo "ruim" ou "péssimo", foi de 23% (era 29%). Dos ouvidos, 38% consideram o governo como "regular" (mesmo percentual anterior).

O resultado da pesquisa de avaliação do governo Dilma foi o seguinte:

- Ótimo/bom: 38%
- Regular: 38%
- Ruim/péssimo: 23%
- Não sabe: 1%

A pesquisa Datafolha foi realizada nos dias 14 e 15 de agosto. Foram entrevistados 2.843 eleitores em 173 cidades do país. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso quer dizer que o instituto tem 95% de certeza de que os resultados obtidos estão dentro da margem de erro. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00386/2014.

domingo, 17 de agosto de 2014

Dilma tem 36%, Marina, 21%, e Aécio, 20%, diz pesquisa Datafolha

Pesquisa é a 1ª com cenário com Marina como possível substituta de Campos. No levantamento anterior, Dilma tinha 36%, Aécio, 20%, e Campos, 8%.

Do G1, em São Paulo

Pesquisa Datafolha divulgada na edição desta segunda-feira (18) do jornal “Folha de S.Paulo” mostra Dilma Rousseff (PT) com 36% das intenções de voto para presidente, seguida de Marina Silva (PSB), com 21%, e Aécio Neves (PSDB), com 20%.

É a primeira pesquisa que inclui um cenário em que a ex-senadora Marina Silva é o possível nome do PSB no lugar do ex-governador Eduardo Campos, que morreu na quarta-feira (13), em um acidente de avião. O PSB ainda não definiu se Marina será a candidata substituta, mas lideranças dão a escolha como certa.


O percentual de entrevistados que disseram não saber em quem votar ou que não responderam foi de 14% em julho, e agora atingiu 9%. Brancos e nulos eram 13%, percentual que passou a 8%. O quarto colocado na pesquisa, pastor Everaldo (PSC), aparece com 3% das intenções de voto; no levantamento anterior, tinha os mesmos 3%.

O levantamento foi encomendado jornal “Folha de S.Paulo”. O Datafolha ouviu 2.843 eleitores em 176 municípios nos dias 14 e 15 de agsoto. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso quer dizer que o instituto tem 95% de certeza de que os resultados obtidos estão dentro da margem de erro.

A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00386/2014.

Veja os números do Datafolha para a pesquisa estimulada (em que a relação dos candidatos é apresentada ao entrevistado):

- Dilma Rousseff (PT): 36%
- Marina Silva (PSB): 21%
- Aécio Neves (PSDB): 20%
- Pastor Everaldo (PSC): 3%
- José Maria (PSTU): 1%
- Eduardo Jorge (PV): 1%
- Luciana Genro (PSOL): 0%
- Rui Costa Pimenta (PCO): 0%
- Eymael (PSDC): 0%
- Levy Fidelix (PRTB): 0%
- Mauro Iasi (PCB): 0%
- Brancos/nulos/nenhum: 8%
- Não sabe: 9%

Segundo turno
Nas simulações de segundo turno, o Datafolha avaliou os seguintes cenários:

- Marina Silva: 47%

- Dilma Rousseff: 47%
- Aécio Neves: 39%

O Datafolha não realizou a simulação de uma disputa entre Aécio Neves e Marina Silva.

Rejeição
A presidente Dilma tem a maior taxa de rejeição (percentual dos que disseram que não votam em um candidato de jeito nenhum). Confira abaixo:

- Dilma Roussef: 34%
- Aécio Neves: 18%
- Zé Maria: 16%
- Eymael e Levy Fidelix e Rui Costa: 13%
- Marina Silva, Luciana Genro e Mauro Iasi: 11%
- Eduardo Jorge: 10%

Bomba: Decisão judicial que inocenta Bocalom revela armação do PT às vésperas das eleições em 2012

Por Assem Neto, acrealerta.com 
Em 2012, o professor Bocalom, à época candidato a prefeito de Rio Branco, tinha razão quando disse: “eu jamais agredi alguém”. O comentário foi feito aos prantos, em coletiva à imprensa, horas após o Partido dos Trabalhadores explorar afirmações “inverídicas” de um cidadão no Programa Eleitoral do então candidato Marcus Alexandre.

Em decisão judicial, José Aparecido dos Santos, vulgo “Zezão do Chapéu”, foi condenado a pagar R$ 4 mil reais de indenização a Bocalom. Ele disse, no horário político do PT, na televisão, que havia sido espancado por Bocalom ao pedir um remédio, quando o candidato era prefeito de Acrelândia.

Em sua sentença, a juíza Maria Rosineide dos Reis Silva disse estranhar “que a denúncia tenha sido apresentada somente em 2012, justamente num horário político-partidário, por ocasião das eleições, sendo que a suposta agressão teria ocorrido em 1996, desacompanhada de boletim de ocorrênciapolicial”.

A juíza prossegue: “as testemunhas apresentadas pelo reclamante e pelo reclamado afirmaram não ter havido agressão”, escreveu ela na sentença. 

A mentira, usada pelo Marketing do PT sem dar direito de defesa ao então candidato Bocalom, foi ao ar no último programa eleitoral do candidato Marcus Alexandre.

Um direito de resposta, solicitado judicialmente às vésperas da votação, foi negado pelo juiz da propaganda em 2012, Pedro Longo, que, coincidência ou não, hoje, é candidato à suplente de senador na chapa da Frente popular. Trinta inserções do programa eleitoral de Bocalom foram retiradas do ar àquela época em menos de duas semanas.

A juíza ensina, ainda, que “a difamação, consumação do ilícito, para se configurar, basta que chegue ao conhecimento de apenas uma pessoa”.

“Bocalom teve o seu direito de resposta negado, via de consequência, não pôde esclarecer a verdade à população rio-branquense. Foi uma das maiores aberrações jurídicas que já vi”, disse o advogado Roberto Duarte, responsável pela ação que, segundo ele, “fez justiça antes tarde do que nunca”. Duarte é candidato ao senado na mesma chapa de Bocalom.

José Brandão Maia, vulgo “Brandão”, à época dirigente do próprio PT de Acrelândia e amigo de José Aparecido, também foi condenado a pagar indenização no mesmo valor (R$ 4 mil). “José não tinha provas, mas aceitou ir à imprensa e falar de algo que não tinha conhecimento”, diz a sentença.

À época, os principais apoiadores políticos de Bocalom condenaram a manobra do PT. “Partiram para o terrorismo”, disse o senador Sérgio Petecão. Os deputados federais Márcio Bittar (PSDB), Gladson Cameli (PP) e Antônia Lúcia (PSC) também prestaram solidariedade a Bocalom.

Duarte lembra que "muitos eleitores, já na reta final do processo eleitoral, acabaram sendo induzidos a anular o voto ou votar em outro candidato, por conta das mentiras expostas no programa eleitoral do PT".

“Alguém tem dúvida que esse fato e a negativa do juiz eleitoral de então mudou o resultado das eleições de segundo turno nas eleições de Rio Branco?”, questiona Normando Sales, secretário geral do Democratas-AC.






*Assem Neto é jornalista e cordenador de Comunicação da Coligação Produzir para Empregar

Aécio e o destino: A morte de Campos coloca Aécio na condição do piloto de Fórmula 1: olha para frente, mas tem de se precaver com quem vem atrás, por Mauricio Dias —

Após a morte de Eduardo Campos, só depende de Marina Silva a decisão de participar diretamente da disputa para a Presidência da República. A investidura dela como presidenciável, difícil de ser sabotada pelos adversários internos da coligação, altera o cenário da eleição.

Tudo parecia arranjado para o sexto confronto entre o PT, com Dilma, e o PSDB, com Aécio. Ela busca a reeleição. Ele tem a missão de impedir o acréscimo de mais quatro anos, aos quase 12 anos de governo petista.

A fatalidade, no entanto, interferiu na disputa definida pelas forças políticas. Os supersticiosos tratam isso como força do destino. Outra versão será conhecida após o resultado das investigações da perícia humana sobre o acidente.

Há coincidências entre essa fatalidade de agora e o desfecho da vida de Tancredo Neves (1910-1985), sagaz político mineiro. Sagaz e supersticioso. É conhecida a frase dele de que a Presidência da República é coisa do destino.

Pois bem. Tancredo, como se sabe, favorecido pelas circunstâncias políticas da ocasião (1984), ou pelo destino, foi eleito presidente em eleições indiretas. Morreu às vésperas de tomar posse. Erro médico, como se admite hoje, ou a mão do destino? Adotado o princípio sobrenatural, é possível, a partir daí, fazer deduções entre a morte de Eduardo Campos e a candidatura de Aécio Neves, neto de Tancredo.

O destino pode botar à frente do tucano, por força da morte de Campos, ou por força do destino, a candidatura de Marina Silva.

O cenário, com Eduardo Campos, mostrava a estabilidade dos três candidatos, conforme números do Datafolha, em fins de julho. Dilma estava com 36% das intenções de voto, seguida de Aécio com 20% e Eduardo Campos com 8%.

Considerados os votos válidos, para os quais a mídia fecha os olhos, a situação era razoavelmente folgada para a candidata petista (tabela). Ela precisava apenas de 0,7% de votos para alcançar 50% dos votos. Com um voto a mais Dilma, então, venceria no primeiro turno. Aécio Neves, obtinha 27,4% dos votos válidos e Eduardo Campos 11%.

Restringindo a análise à candidatura de Campos é perceptível que Marina Silva não conseguia transferir votos suficientes para ele, migrados dos quase 20 milhões de votos que ela obteve em 2010 e que se supunha ser de domínio dela.

Até integrar oficialmente, como candidata a vice-presidente, a chapa de Eduardo Campos, as pesquisas incluíam o nome de Marina Silva na lista de presidenciáveis. Ela superava Aécio e Eduardo. As pesquisas apontavam as dificuldades da candidatura de Campos crescer. Insistiam em sondar o porcentual de intenção de votos de Marina atiçados pelas especulações de que ele poderia abdicar da candidatura em favor dela.

Um exemplo aleatório. Pesquisa Datafolha de fevereiro mostra Dilma com 47% das intenções de voto. Aécio estava com 17% e Campos com 12%. A inclusão do nome de Marina, com 23% das intenções de voto, baixava o porcentual de Dilma para 43% e o de Aécio para 15%.

Com a presença de Marina, o tucano Aécio vai se ver como o piloto de corrida. Tenta alcançar o da frente e olha o retrovisor para não ser ultrapassado pelo de trás.

Carta Capital

sábado, 16 de agosto de 2014

E a política em TK eh!!!

A BOA E VELHA POLÍTICA DE TARAUACÁ

QUEM DARÁ O GRITO DE: SOU VENCEDOR!!!"


Novo cenário eleitoral se instala em Tarauacá. Bons confrontos devem aquecer a disputa do voto, principalmente daqueles mais humildes, àqueles que não tem cargo nenhum a defender ou que mesmo sendo direcionado , não trairá seu coração. O passado já não é algo tão perturbador, já que as promessas substituem as nossas frustrações e vontades reprimidas. O futuro vem tão depressa que já não é necessário preocupar-se com ele. Assim é a nossa política. O amor entre as pessoas já pode ser tido como algo superado, pois no mundo contemporâneo não há espaço para esse tipo de afeição, pois a vida, embora possa ser longa, sempre é rápida. Assim nossas principais lideranças, já começam à defender seus preferidos. 

As distâncias aumentam depressa, mas na nossa política não. A vida anda mais depressa que nós. A velocidade da nossa época é algo surpreendente. Hoje, mais do que nunca, as velhas promessas, ou pelo menos a grande maioria delas, parecem ser feitas para se trair ou romper. Não importa o que você pense, a regra do momento é a seguinte: não importa o que você faça, mantenha suas opções abertas. Afinal, lealdade e compromissos, como todas as outras coisas na vida, têm data de vencimento, e, na maioria das vezes, o prazo é curto. Assim também é com nossa boa e velha política tarauacaense...

Por Flávio Santos- o Kbyn 

Marina dá aval a candidatura; decisão oficial do PSB sai na quarta


Oficialmente, partido vai anunciar novo candidato na próxima semana. Dirigentes da sigla se encontraram na sexta (15) para tratar do tema.

Do G1, com informações do Jornal Hoje

Dirigentes da cúpula do PSB receberam o aval de Marina Silva para que ela seja candidata do partido à Presidência da República no lugar de Eduardo Campos, morto em acidente de avião. No entanto, a sigla só vai anunciar oficialmente o nome do substituto após o enterro de Campos. O partido já havia informado que a reunião que vai definir o novo candidato será na quarta-feira (20). 

Líderes do PSB se reuniram na noite desta sexta (15) em um hotel de São Paulo para conversar sobre a candidatura. Entre eles, estavam o presidente do partido, Roberto Amaral, o governador de Pernambuco, João Lyra, e os deputados federais, Júlio Delgado (MG) e Márcio França (SP).

Mais cedo, eles estiveram com Marina Silva, também na capital paulista e receberam dela o aval para a candidatura.

Ao saírem da reunião de dirigentes, já na madrugada deste sábado, integrantes do PSB confirmavam que, apesar do anúncio oficial ser feito na quarta (20), o nome de Marina já é dado como certo. Falta ainda definir o vice na chapa, que deve ser um integrante do partido, e não de uma sigla aliada.

Marina
A ex-senadora, que era vice na chapa de encabeçada por Campos, se filiou ao PSB em outubro de 2013 depois que seu partido, a Rede Sustentabilidade, não conseguiu registro no Tribunal Superior Eleitoral para disputar as eleições deste ano.

Neste dias após a morte de Campos, ela não tem falado publicamente sobre política e não fez comentários sobre assumir ou não a vaga de candidata.

Depois de três em casa, em São Paulo, ela embarcou na manhã deste sábado para Recife, onde vai acompanhar o velório e o enterro de Campos.

Tarauacá: Vereadora Janaína Furtada do PSD declara apoio a Perpétua Almeida



A vereadora Janaína Furtado do PSD de Tarauacá, utilizou a rede Social FACEBOOK para declará apoio a candidata ao senado Perpétua Almeida (PCdoB). 

A vereadora justificou seu apoio a comunista por sua admiração que tem a deputada federal Perpétua. Disse ainda que um dia quer ter o mesmo reconhecimento que a comunista


tem hoje. Ainda segunda a postagem da vereadora Janaína o apoio dela foi decidido em família. 

Vale destacar que PSD, partido da vereadora está coligado com o PSDB e PP, que tem Márcio Bittar candidato ao governo e Gladson Cameli candidato senado. 

Veja integra da postagem 

MEU APOIO PARA PERPETUA ALMEIDA

Ontem tive a satisfação de participar de uma atividade política com a Deputada Perpétua Almeida, hoje candidata ao senado.

Me juntei às centenas de pessoas que foram recepcioná-la no aeroporto e acompanhá-la até a inauguração de um comitê de campanha da sua coligação. Perpétua terá meu apoio, de meu pai, de minha mãe e de minha irmãs, além de outros homens e mulheres da minha maravilhosa família.

A grande maioria de nossas mulheres que ocupam cargos públicos ou políticos admiram a atuação e firmeza de Perpétua, independente de sua sigla partidária. Além de ser mulher é guerreira e eu como vereadora gostaria muito um dia poder ser admirada e respeitada pela minha atuação parlamentar, assim como ela é.

Já votei e fiz campanha para muitos candidatos da oposição e da situação. Já venci e já fui derrotada. Mas, nosso voto aqui é decidido na família, depois de muita conversa.

Devo tudo que sou aos meus familiares e meus verdadeiros amigos. Devo muitos agradecimentos à população tarauacaense que me acolheu como vereadora e aos 542 eleitores que me deram a 5ª colocação entre os parlamentares eleitos para os cargos de vereadores. Somos pessoas livres e devemos nos manifestar sem medo de ser feliz.

Então, que fique aqui manifestado publicamente o apoio da Vereadora Janaina Furtado e sua família para a candidata ao Senado Perpétua Almeida.

Que fique também claro que não tenho nada contra qualquer candidato ou candidata. Mas, faço minhas escolhas.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Tarauacá: João Herbert participa do mundial de jiu jitsu esportivo 2014

O tarauacaense João Herbert - lutador de jiu jitsu- participou do campeonato mundial de jiu jitsu esportivo 2014, categoria: Faixa Roxa Máster masculino /médio. O mundial está sendo realizado na cidade de São Paulo, no Ginásio do Ibirapuera. Entre os dias 14 e 18 de agosto.

O tarauacaense chegou as quartas final do torneio .

Herbert disputou duas lutas, vencendo a primeira e Perdeu a outra. 

O lutador foi o único representante do município no mundial. 

João Herbert estava representando academia de jiu jitsu da cidade SAMURAI GOLD TEAM, na qual, ele é o professor. 

O atleta foi patrocinador pela moto peças Herbert e comercial Vander.

O campeonato é organizado pela confederação brasileira de jiu jitsu esportivo- cbjje.

Por Leandro Matthaus 
leandro23333@gmail.com

DROGARIA VIVER BEM ( CUIDAR DE VOCÊ FAZ BEM).

NA DROGARIA VIVER BEM, VOCÊ ENCONTRA MEDICAMENTOS, PERFUMARIA E PRODUTOS PARA SUA HIGIENE PESSOAL-
RUA JOÃO DE PAIVA -979, PRÓXIMO AO SWING CLUBE.