domingo, 14 de setembro de 2014

Gladson tem 48%, Perpétua, 33%, e Duarte, 4%, diz Ibope

Pesquisa Ibope divulgada neste sábado (13) aponta que o candidato Gladson Cameli (PP) cresceu 9 pontos percentuais nas intenções de voto para o Senado do Acre, chegando a 48%. Na sequência, a deputada federal Perpétua Almeida (PC do B) aparece com 33%. Já Roberto Duarte (PMN) se mantém com 4% e o professor Fortunato Martins Filho (PSOL) alcança 3% das intenções. Os indecisos somam 8% e os que declaram que vão votar branco ou nulo são 4%.

Na pesquisa Ibope anterior, divulgada no dia 13 de agosto, o candidato Gladson Cameli (PP) aparecia com 39% das intenções de voto e Perpétua Almeida (PC do B) com 36%. Roberto Duarte (PMN) e Fortunato Martins Filho (PSOL) representavam 4% e 2% das intenções, respectivamente.

Veja os números do Ibope para a pesquisa estimulada:
Gladson Cameli (PP) – 48% das intenções de voto
Perpétua Almeida (PC do B) – 33%
Roberto Duarte (PMN) – 4%
Fortunato Martins Filho (PSOL) – 3%
Brancos e nulos: 4%
Não sabe ou não respondeu: 8%

O Ibope realizou a pesquisa de 9 a 11 de agosto e ouviu 812 eleitores, em 10 municípios do Acre. A pesquisa foi encomendada pela Rede Amazônica.

A margem de erro estimada é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança utilizado é de 95%, o que significa que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o protocolo Nº AC-00040/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral sob protocolo Nº BR-00610/2014.



Ac24Horas.com

sábado, 13 de setembro de 2014

Hoje é aniversário de Sariny Almeida

Bebê será registrada com duas mães e um pai no RS

Criança foi fecundada pelo método convencional e foi Fernanda quem deu à luz. No entanto, na certidão, ambas constam como mãe do bebê, que terá, portanto, seis avós

Em uma decisão inédita no País, o juiz Rafael Cunha, da 4ª Vara Cível do Fórum de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, autorizou o registro de um bebê por duas mães e um pai. A criança, que nasceu no último dia 27 de agosto, é filha biológica de uma das mulheres - que é casada com a outra - e do homem. As informações são do jornal O Globo.


Segundo a publicação, as mães, Fernanda Battagli Kropeniscki, 26 anos, e Mariani Guedes Santiago, 27 anos, estão casadas legalmente há dois meses e viveram em uma união estável durante quatro anos. 

O pai da criança, Luis Guilherme Calfield, é um amigo da família, que realizou um pedido do casal. Como condição para aceitar o pedido, Barbosa quis constar como pai na certidão de nascimento da pequena Maria Antônia, que nasceu de parto normal.


A criança foi fecundada pelo método convencional e foi Fernanda quem deu à luz. No entanto, na certidão, ambas constam como mãe do bebê, que terá, portanto, seis avós.


A decisão abre precedentes para outros casais que vivem a mesma situação de multimaternidade. A menina terá todos os direitos, como previdenciário, dos três pais.


A decisão foi cumprida nesta sexta-feira no 1º Cartório de Registro Civil da cidade, que precisou adaptar o sistema de registro para que o documento pudesse contar com nove nomes. A certidão será entregue às mães e ao pai na semana que vem.

Terra.com.br

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Colegas de Trabalho

Essa galera das duas fotos abaixo são os meus colegas de trabalho ( carteiros). São com eles que de segunda a sexta-feira divido maior parte do meu tempo. Sempre ao final do expediente nos reunimos para lanchar e trocar idéias. 

Aprovação do governo de Tião Viana cai de 52% para 47%, aponta Ibope

Instituto entrevistou 812 eleitores entre os dias 9 e 11 de setembro. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Do G1 AC

Pesquisa Ibope divulgada nesta sexta-feira (12) mostra que a administração do governador do AcreTião Viana (PT) obteve a aprovação de 47% dos entrevistados - no levantamento anterior, divulgado no dia 12 de agosto, o índice era de 52%. O Ibope considera que aprovam a administração aqueles que julgaram o governo como "ótimo" ou "bom".

De acordo com a pesquisa, os que desaprovam o governo (consideram que é "ruim" ou "péssimo") somam 20%. Outros 31% classificam o governo como "regular" (eram 29% no levantamento anterior).

O resultado da pesquisa de avaliação do governoTião Viana foi o seguinte:
- Ótimo/bom: 47%
- Regular: 31%
- Ruim/péssimo: 20%
- Não sabe/Não respondeu: 9%

A pesquisa foi encomendada pela Rede Amazônica. O Ibope fez 812 entrevistas em 10 municípios de 9 a 11 de setembro. A margem de erro estimada é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra. O nível de confiança é de 95%, o que significa que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Acre sob registro nº AC-
00040/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral sob protocolo nº BR-00610/2014.

Tião Viana tem 42%, Bocalom 25% e Marcio Bittar 19%, diz Ibope

Margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. Instituto entrevistou 812 eleitores no estado de 9 a 11 de setembro.

Do G1 AC

Em nova pesquisa Ibope divulgada nesta sexta-feira (12), o atual governador do Acre e candidato à reeleição Tião Viana (PT) aparece com 42% das intenções de voto na corrida pelo governo do estado. Em seguida vem Bocalom (DEM) com 25% das menções e em terceiro lugar, o candidato do PSDB, Marcio Bittar, que permanece com 19% das intenções de voto. Antônio Rocha (PSOL) tem 2% das intenções. Brancos ou nulos somam 5% e 7% se declararam indecisos.

No levantamento anterior, realizado pelo instituto e divulgado no dia 18 de agosto, Tião Viana tinha 46%, Márcio Bittar 19% e Bocalom 18%.

Veja abaixo os números do Ibope, segundo a pesquisa estimulada, em que os nomes de todos os candidatos são apresentados ao eleitor:

Brancos e nulos - 5%
Não sabe ou não respondeu - 7%

O Ibope realizou a pesquisa de 9 a 11 de setembro e ouviu 812 eleitores. A margem de erro estimada é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança utilizado é de 95%, o que significa que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob registro nº AC-00040/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral sob protocolo nº BR-00610/2014.

Segundo turno
O Ibope fez uma simulação de segundo turno entre Tião Viana e Bocalom. Os resultados são os seguintes:
Tião Viana: 45%
Bocalom: 36%
Branco/nulo: 9%
Não sabe/não respondeu: 10%

O Ibope também fez uma simulação de segundo turno entre Tião Viana e Marcio Bittar. Os resultados são os seguintes:
Tião Viana: 46%
Marcio Bittar: 33%
Branco/nulo: 10%
Não sabe/não respondeu: 10%

Rejeição
A pesquisa avaliou ainda o índice de rejeição de cada um dos candidatos, isto é, aquele em quem o eleitor diz que não votará de jeito nenhum, podendo citar mais de um nome. Neste quesito, o candidato do DEM, Tião Bocalom tem a maior rejeição e Bittar a menor.

Tião Bocalom (DEM) 28%
Tião Viana (PT) 26%
Antônio Rocha (PSOL) 28%
Márcio Bittar (PSDB) 16%

Avaliação do governador
Na mesma pesquisa, os eleitores também responderam sobre a avaliação ao governo Tião Viana. Segundo o Ibope, 47% dos eleitores avaliam o atual governo como "ótimo ou bom". Outros 31% consideram regular e os que avaliam como "ruim ou péssima" somam 20%. Caiu também a aprovação de sua maneira de administrar, de 62% para 55%, enquanto a desaprovação sobe de 30% para 36% dos respondentes.

Marina: 'Nunca pensei que o PT tentaria me destruir

Marina voltou a pedir que a militância do PSB dedique tempo às redes sociais para responder aos ataques, mas pediu que não façam ofensas a Dilma.

Talita Fernandes, de Fortaleza
A candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, fala sobre seu programa de governo, em Fortaleza - Ivan Pacheco/VEJA.com

Alvo de artilharia pesada do PT, a candidata à Presidência da República pelo PSB, Marina Silva, demonstrou mágoa do antigo partido nesta sexta-feira, durante ato político em Fortaleza. "Eu nunca imaginei, por mais criativa que eu fosse, que depois de 30 anos lutando no PT, depois de ter enfrentado jagunço, depois de lutar tanto pelo Lula, que seriam eles que iriam fazer de tudo para me destruir. Usando os mesmos argumentos, os mesmos preconceitos", disse durante, inauguração de um comitê suprapartidário no Ceará.




Depois de ter sido comparada aos ex-presidentes Fernando Collor de Mello e Jânio Quadros, que não chegaram ao fim do mandato, e de ser acusada de tentar entregar o país aos banqueiros, Marina mostrou-se bastante irritada com o bombardeio que vem sofrendo do PT. "Ela [Dilma] fala com base naquilo que o marqueteiro diz para ela dizer. Eles pegam uma mulher que tem uma história de vida de luta pela democracria e os marqueteiros dizem que é para atacar a Marina sem do nem piedade", criticou, dizendo ainda que a estratégia adotada pela equipe de Dilma é devido ao pouco tempo de TV que Marina tem, apenas dois minutos, em comparação com a presidente, que conta com quase 12 minutos de exposição na TV.

Marina voltou a pedir que a militância do PSB dedique tempo às redes sociais para responder aos ataques, mas pediu que não façam ofensas a Dilma. Ela repetiu também que vem sendo criticada por seu programa de governo, mas que seus adversários sequer apresentaram propostas. "A presidente Dilma nem vai apresentar, ela disse que tudo vai continuar", disse, aproveitando para criticar o atual quadro econômico de recessão técnica e inflação alta.

Ainda sobre os ataques, o vice de Marina, Beto Albuquerque, comentou a decisão do PT de entrar com uma representação contra Marina, após a pessebista afirmar que o partido deixou que diretores 'assaltassem' a Petrobras, em referência às denúncias feitas pelo ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa. "O PT não tem direito de ofender os outros e depois se achar ofendido quando lhe interessa", criticou. Sobre as decisões de marketing da campanha petista, ele disse que "o marqueteiro da Dilma está mais para vice presidente", por ter bastante voz ativa na campanha.

Talita Fernandes
Veja.abril.com.br

Tarauacá: É o primeiro município do Brasil a implantar uma unidade básica de saúde dentro de um presídio


Dia 11 de setembro de 2014 foi uma data história pro Iapen e a prefeitura de Tarauacá. Os entes inauguraram a primeira unidade básica de saúde dentro de um presidido no Brasil.





A unidade básica de saúde que vai funcionar dentro da peneteciaria Moacyr Prado, dispõe de uma equipe mínima de profissionais de saúde, composta de: psicólogo, médico, cirurgião dentista, enfermeiro e técnico de enfermagem com a finalidade de realizar o atendimento permanente dos custodiados.


A implantação desta unidade de saúde tem como objetivo oferecer uma saúde digna a população carcerária de Tarauacá. No ato de entrega  os reeducandos fizeram algumas apresentações como peça teatral, coral musical, exposição de artesanatos e produtos cultivados na horta e roçado, e ainda apresentação de povos indígenas da comunidade “Belo Monte”, já que na unidade conta com alguns detentos dessa etnia.



O evento realizado pela Diretoria da Unidade Penitenciária Moacir Prado que tem como diretor Jackson Allan Abreu Loureiro, contou com a presença de autoridades como Diretor Presidente do IAPEN, Martin Fillus Cavalcante Hessel, o Juiz de direito, Flávio Mariano Mundim, o Promotor de Justiça, Luiz Henrique Correa Rolim, o defensor público, Eufrasio Morais de Freitas Neto, a Gerente de Reintegração Social e Saúde Madalena Silva, o Prefeito Rodrigo Damasceno Catão, Secretário de Saúde Carlos Tadeu Lopes da silva e o Secretário da Assistência Social Antônio da Silva Araújo e demais convidados.



Essa parceria beneficiará os reeducandos que estão pagando suas dívidas com a sociedade garantindo os direitos constitucionais básicos de saúde. Não sendo mais necessários conduzi-los ao Hospital ou ao Posto de Saúde, evitando assim constrangimento a população e aos reclusos, e contribuindo com a segurança evitando possíveis fugas ou resgates.

Os atendimentos acontecerá de segunda a sexta-feira, no período da manhã. 
É um projeto ousado e dependendo do resultado poder vir ser atodado nos demais peneteciaria do País. 







Por Leandro Matthaus Foto Jardy Lopes 

Ibope: Dilma tem 39%, Marina tem 31% e Aécio, 15%


Simulação de segundo turno aponta Marina à frente, mas tecnicamente empatada com a petista: 43% contra 42% da preferência do eleitorado.

Pesquisa Ibope encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgada nesta sexta-feira, aponta a presidente-candidata Dilma Rousseff (PT) com 39% das intenções de voto, contra 31% de Marina Silva (PSB) e 15% de Aécio Neves (PSDB). Na simulação de segundo turno, Dilma e Marina aparecem tecnicamente empatadas: a petista tem 42% da preferência do eleitorado e Marina, 43%.




O levantamento avaliou ainda a aprovação ao governo da presidente Dilma. A parcela da população que considerava o governo ótimo ou bom passou de 31% número registrado em junho desde ano – para 38%. A pesquisa também aponta que o porcentual da população que aprova a maneira de governar da presidente subiu de 44% para 48%.

Os principais problemas apontados pelos eleitores no governo Dilma são impostos (73%), taxa de juros (68%) e saúde (74%). Já as áreas mais bem-avaliadas são educação, aprovada por 39% dos entrevistados, ante 32% no levantamento anterior, e o combate à fome e à pobreza, cuja aprovação saltou de 41% para 50%.

O levantamento foi realizado entre os dias 5 e 11 de setembro em 144 municípios brasileiros. Foram ouvidas 2.002 pessoas. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o protocolo BR-00593/2014 .

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Sebastião Viana tem 40%; Márcio Bittar, 24%; Bocalom, 16%, aponta nova pesquisa da Delta

Da redação:acriticadoacre.com.br

O cenário da disputa pelo comando do governo do Acre sofreu ligeiras alterações nesta reta final de campanha. A segunda pesquisa encomendada por ac24horas.com à Delta Agência de Pesquisas, faltando menos de um mês para as eleições, mostra o governador Sebastião Viana (PT) na liderança. O candidato da coligação Por um Acre Melhor, Márcio Bittar (PSDB), cresceu dois pontos em relação à última pesquisa, mesmo índice de crescimento de Tião Bocalom (DEM).

A Delta aponta ainda que, na disputa pelo Senado, Gladson Cameli (PP) aumentou sua vantagem para Perpétua Almeida (PCdoB).

A pesquisa foi realizada no período de 31 de agosto a cinco de setembro de 2014 – em todo o Acre. A Delta entrevistou 2.500 pessoas em diversas faixas etárias e de renda. O intervalo de confiança é de 95% com margem de erro de 2% para mais ou para menos. O número do registro no TRE/AC é AC-00039/2014.

Segundo a Delta, na pesquisa induzida onde é apresentado um cartão com os nomes dos candidatos, Sebastião Viana, que disputa a reeleição tem 40,40% das intenções de voto, o tucano Márcio Bittar aparece com 24,08%; Bocalom, 16,68%, Antônio Rocha, 1,16% Brancos/nulos 2,60% e não sabem 15,08%.

Na sondagem espontânea, em que nenhum nome é apresentado aos entrevistados, o petista Sebastião Viana é citado por 28,28%; o tucano Márcio Bittar tem 15,44%; Tião Bocalom, 11,72%, Antônio Rocha, 0,20%; outros 0,24%; branco/nulo 1,88% e não sabe/não respondeu 42,24%.

Os candidatos de oposição também cresceram na espontânea. A fatia dos que não souberam indicar espontaneamente nenhum nome poderá ser um indicativo que os números poderão ser alterar até o final da campanha, quando os candidatos intensificarão a campanha em todas as cidades do Estado.


Os percentuais de rejeição dos quatro candidatos que disputam o governo do Acre sofreram pequenas alterações, quando o eleitor é questionado (em quem o não votar de forma alguma). Sebastião Viana tem 25,33%; Tião Bocalom, 20,64%; Márcio Bittar, 8,12%; Antônio Rocha, 13,36%.

Na simulação de segundo turno entre o candidato que ocupa a primeira colocação e o segundo colocado, Sebastião Viana caiu em relação a última pesquisa, aparecendo com 44,16% dos votos. Mesmo assim venceria a disputa com Márcio Bittar, que teria 37,48%; branco/nulo 4,48%% e não souberam responder 13,88%.

Num segundo cenário de disputa de um possível segundo turno com o petista Viana e Bocalom, ele também seria reeleito. Os números são os seguintes: Sebastião Viana teria 47,20% das preferências de voto, Tião Bocalom 31,96%, branco/nulo somam 6,36% e não saberiam responder 14,48%.

Bocalom é forte no Alto Acre e Bittar tem melhor desempenho no Vale do Juruá

Enquanto Sebastião Viana aparece lidera com folga a preferência do eleitorado na maioria dos municípios, Bocalom desponta bem nas cidades do Alto Acre. O tucano Márcio Bittar tem melhor desempenho nos municípios do Vale do Juruá, base eleitoral de sua vice, a deputada estadual Antônia Sales (PMDB).

Em Brasileia, Bocalom aparece à frente de Márcio Bittar, mas se for considerada a margem de erro, os dois estariam empatados. A mesma situação acontece em Epitaciolândia, Bocalom e Bittar estariam separados apenas por um ponto percentual. Em Sena Madureira, Bocalom lidera com dois pontos percentuais.

Márcio Bittar coloca uma diferença confortável para Bocalom, nos municípios de Feijó, Tarauacá e Cruzeiro do Sul. Na segunda maior cidade do Acre, Bittar estaria empatado tecnicamente com Sebastião Viana. A diferença de Bittar para Bocalom, em Cruzeiro do Sul é de 20 pontos percentuais.

DIVERGENTE – A Vox Populi também divulgou uma pesquisa no último fim de semana, onde Sebastião Viana aparece com 48% das intenções de voto. Tião Bocalom (DEM) aparece em segundo, com 18%. Márcio Bittar (PSDB) é o terceiro com 17% e Antônio Rocha (PSOL) é o quatro colocado, com 1%.

No Senado, Gladson Cameli tem 48%, Perpétua Almeida tem 32,16%


A pesquisa Delta encomendada pelo jornal ac24horas aponta uma liderança crescente do candidato do PP ao Senado pelo Acre. O deputado federal Gladson Cameli (PP) soma 48% das intenções de voto, apresentando um crescimento de 8 pontos percentuais em relação à última pesquisa da Delta realizada em junho.

No levantamento realizado no mês de junho, Gladson Cameli aparecia com 40,52% na pesquisa estimulada – agora, tem 48% das intenções de votos. A candidata Perpétua Almeida (PCdoB) caiu sete pontos em relação a pesquisa do mês de junho, quando aparecia com 39,01%. Agora, Perpétua tem 32,16%.

Roberto Duarte (PMN) tem 2,40% das intenções; professor Fortunato, 1,04%; branco/nulo , 2,28%; não sabe/não respondeu 14,12%. A delta divulga ainda os números da pesquisa espontânea. O resultado também aponta o crescimento do candidato do Partido Progressista.

Na sondagem espontânea, em que nenhum nome é apresentado aos entrevistados, Gladson Cameli é citado por 36,56%; a comunista Perpétua Almeida tem 18,20%; Roberto Duarte, 1,44%, Professor Fortunato, 0,48%; outros 0,08%; branco/nulo 1,68% e não sabe/não respondeu 41,56%.

Os percentuais de rejeição dos candidatos que disputam o Senado são os seguintes: Perpétua Almeida aparece com 25,36%; Gladson Cameli 6,20%; Roberto Duarte Júnior 11,28%; Professor Fortunato 13,24%; não rejeitam nenhum 16,32%; rejeita todos 3,56% e não sabe/não respondeu 24,04%.

fonte:ac24horas

Mais investimento na Educação de Tarauacá

Carlos Santos, RRCTV.COM.BR
São inúmeros os investimentos que a prefeitura de Tarauacá através da secretaria de educação tem realizado no município, o que fez com que Tarauacá se tornasse em um verdadeiro canteiro de obras, o Bairro do Triângulorecebe mais uma construção após ser construída a Creche que já estar quase 100% concluída agora surge mais uma construção no bairro a construção da escola de ensino Fundamental Valdina Torquato do Nascimento.

Nesta última quinta feira dia 11 de setembro foi realizado através do Governo de um novo tempo o lançamento da pedra fundamental para a construção da escola de ensino Fundamental Valdina Torquato no Bairro do Triângulo, uma obra no valor de RS 1.016.43 uma parceria do Governo federal com a prefeitura de Tarauacá. mhttp://rrctv.com.br/index.php/educacao/item/816-mais-investimento-para-o-bairro-do-tri%C3%A2ngulo

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Aécio murcha junto com o PSDB

O PSDB caminha para uma transformação inesperada neste ano. De grande e protagonista, o partido possivelmente passará a ser uma legenda média, coadjuvante. Uma das razões é o mau desempenho que o candidato presidencial Aécio Neves deve ter nas próximas eleições. Se as pesquisas eleitorais se confirmarem, pela primeira vez em 20 anos o PSDB estará fora do segundo turno na luta pelo Palácio do Planalto.


“Sem um candidato a presidente forte, sem governadores o partido perde competitividade. Por isso, a bancada de deputados e senadores, que já vinha caindo desde o início dos governos do PT, tende a cair ainda mais”, ponderou o cientista político Fernando Azevedo, professor da Universidade Federal de São Carlos.Será também a primeira derrota eleitoral de Aécio, que desde 1987 ocupa cargos eletivos. Foi deputado federal por quatro mandatos, governador de Minas Gerais por duas vezes e atualmente é senador. Além disso, o desempenho dos tucanos nos Estados tende a ser fraco, em comparação com as últimas cinco eleições. Conforme as últimas pesquisas eleitorais, o PSDB lidera a disputa para o Governo de quatro Estados. É exatamente a metade dos governos que elegeu em 2010. De 1994 a 2010, o PSDB elegeu pelo menos seis governadores por eleição.

Após a entrada de Marina Silva (PSB) na corrida presidencial, Aécio caiu cinco pontos percentuais nas pesquisas. No último levantamento, divulgado nesta quarta-feira, ele cravou 15% das intenções de votos e se distanciou ainda mais do segundo turno, que deverá ficar entre a ambientalista e a atual presidenta, Dilma Rousseff (PT).

“Ainda que seja de uma maneira mais lenta, os tucanos terão o mesmo caminho do DEM, que hoje não tem quase nenhuma força”, afirmou Gonzalo Rojas, doutor em ciência política pela USP (Universidade de São Paulo) e professor da Universidade Federal de São Carlos.

O DEM (Democratas), citado pelo especialista, sempre foi um partido auxiliar ao PSDB. Antes de se chamar Democratas era o PFL (Partido da Frente Liberal) e chegou a eleger sete governadores, em 1998. Nos últimos anos, porém, enfrentou uma debandada de seus quadros políticos. Neste pleito, tem apenas um candidato com chances de se eleger governador (Paulo Souto, na Bahia) e nacionalmente se aliou a Aécio.
Santo de casa

Nem mesmo em seu próprio quintal, Minas Gerais, Aécio Neves tem tido sucesso neste ano. Ele enfrenta dificuldade para eleger o seu candidato ao governo. Conforme o Datafolha publicado na semana passada, o tucano tem 22% dos votos dos mineiros, fica atrás de Roussef (35%) e Marina (27%). Enquanto foi governador Aécio desenvolveu o choque de gestão, uma política marcada pela diminuição dos gastos do Estado e a modernização dos serviços públicos. As taxas de homicídio reduziram, nos primeiros anos de sua gestão, mas voltaram a subir quando ele passou o bastão para o seu sucessor, o afilhado político Antonio Anastasia (PSDB).

Em Minas, Aécio era visto não só como um bom gestor, mas também como um político que sabia costurar alianças. Foi por meio de suas mãos, por exemplo, que o PSDB fez uma aliança até então incomum com o PT para eleger Marcio Lacerda, do PSB, prefeito de Belo Horizonte, a capital de Minas, em 2008. Hoje, o “criador” de Lacerda se vê em um beco praticamente se saída e precisa lutar contra o partido de sua “criatura” para dar uma sobrevida à sua agremiação.

Com exceção da eleição de 2002, quando José Serra (PSDB) perdeu para Luiz Inácio Lula da Silva (PT), os tucanos sempre conseguiram mais de 33 milhões de votos no primeiro turno. Dessa vez, se nada mudar, Aécio deve ficar entre os 15 milhões e 17 milhões de votos. É menos do que Marina Silva, na época no minúsculo PV, obteve em 2010, e o mesmo tanto que Anthony Garotinho, do também pequeno PSB na época, atingiu em 2002.

“Os dados mostram que nem o fiel eleitor do PSDB confia no próprio Aécio. Nas pesquisas ele não conseguia passar da casa dos 20%. Acho que já está em um caminho sem volta”, analisou o professor Azevedo.

Para o cientista político Rojas, os tucanos estão em uma situação paradoxal. “O PT se firmou no governo usando a política econômica do PSDB e criando uma série de políticas sociais compensatórias. O que os tucanos vão criticar? Se atacarem a economia, jogam contra si mesmos. Se criticarem as políticas sociais, perdem votos”, disse.

O mal desempenho de Aécio já virou motivo de piadas. O Piauí Herald, site de humor da revista Piauí, chegou a dizer que se iniciou um movimento volta Serra e que Aécio irá processar os institutos de pesquisa que o colocam em terceiro lugar.

Em sua defesa e buscando reverter o quadro, o candidato passou a atacar suas principais adversárias, disse que é a mudança segura para o Brasil e que acredita que irá para o segundo turno. “Todos que disputam a eleição podem ou não chegar ao segundo turno. Em Minas, por exemplo, nunca cheguei ao segundo turno. Ganhei todas antes do segundo turno, exatamente, do PT. Tenho uma proposta para o Brasil. Uma proposta consistente”.




Afonso Benites, Elpais.com

Dilma tem oito pontos de vantagem no primeiro turno e empata com Marina no segundo. Pesquisa mostra petista com 36% dos votos, contra 28% de Marina e 15% de Aécio Neves (PSDB). 45% diz não votar em Aécio Neves

A nova pesquisa Vox Populi/CartaCapital mostra uma vantagem de oito pontos percentuais da candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) sobre a adversária Marina Silva (PSB) no primeiro turno e um cenário de empate técnico no segundo. Na intenção de voto estimulada, Dilma aparece com 36%. Marina tem 28% e Aécio Neves, 15%. Este foi o primeiro levantamento da série após a morte de Eduardo Campos e a escolha de Marina Silva para substituí-lo, portanto não há base de comparação. Os demais candidatos somam 2%. Brancos e nulos seriam 7%. Outros 13% não souberam indicar um candidato ou não quiseram responder.


O Vox fez duas simulações de segundo turno. Marina Silva obteria 42% dos votos, contra 41% de Dilma Rousseff. Brancos e nulos somariam 10%, enquanto 7% estariam indecisos. Entre Dilma e Aécio, a petista venceria por 44% a 36%, com 12% de brancos e nulos e 8% de indecisos.


Apesar de Marina ainda estar numericamente à frente no segundo turno, 49% do eleitorado apostam na vitória de Dilma Rousseff. Para 31%, a ambientalista será a nova presidenta. Apenas 8% ainda acreditam nas possibilidades de Aécio Neves.


Uma maior parcela de eleitores, 45%, afirmou não votar de jeito nenhum no tucano. O índice de Dilma é de 42% e o de Marina, 40%.


O levantamento, com duas mil entrevistas em 147 cidades, foi realizado entre a segunda-feira 8 e a terça 9. Mostra, portanto, que o mais recente escândalo na praça, o vazamento de trechos da delação premiada do ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto da Costa, ainda não surtiu efeitos eleitorais. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais e o número de registro na Justiça Eleitoral é BR- 00588/2014.


Mais detalhes sobre a pesquisa na edição 817 deCartaCapital, que chega às bancas na sexta-feira 12.




DROGARIA VIVER BEM ( CUIDAR DE VOCÊ FAZ BEM).

NA DROGARIA VIVER BEM, VOCÊ ENCONTRA MEDICAMENTOS, PERFUMARIA E PRODUTOS PARA SUA HIGIENE PESSOAL-
RUA JOÃO DE PAIVA -979, PRÓXIMO AO SWING CLUBE.