sábado, 3 de maio de 2014

AC24HORAS: Parte da cabeceira da ponte do rio Tarauacá na BR-364 desmorona e Deracre bloqueia passagem de caminhões para o Juruá


Os municípios do Juruá podem a qualquer momento ficar isolados por causa de uma rachadura na cabeceira da ponte do rio Tarauacá.

A primeira medida emergencial tomada pelo Deracre para evitar mais danos na estrutura do acesso foi tomada na manhã deste sábado. O órgão proibiu a passagem de carretas e caminhões pelo local. “Em Sena, eles já estão proibidos de prosseguir viagem. A passagem está bloqueada”, disse o diretor do Deracre, Ocírodo Junior.

Apenas carros pequenos passam pelo local. Os ônibus que fazem linha para os municípios de Tarauacá e Cruzeiro do Sul também devem ser impedidos de passar pelo local.

O diretor do Deracre anunciou ainda que para evitar o isolamento total do Juruá com Rio Branco, o governo irá colocar balsas no acesso que era usado pelos motoristas antes de a ponte ser construída no governo Binho Marques.

Ocírodo Junior também informou que no momento não é possível fazer nenhum serviço de recuperação da ponte, já que chove muito no local.

“A gente vai voltar o acesso da balsa. Agora não tem como fazer a reconstrução porque tá chovendo muito. O trânsito de carro pesado está limitado. Não há comprometimento na estrutura da ponte, mas sim em sua cabeceira, no acesso à ponte. Nós não permitir que os municípios fiquem isolados”, disse Junior.

O fenômeno natural da mudança no leito do rio Tarauacá foi quem provocou o desmoronamento na cabeceira da ponte.

Na cidade de Tarauacá mais de 16 casas que ficavam localizadas nas margens do rio desabaram nos últimos meses. O desmoronamento fez desaparecer ruas praticamente inteiras e compromete famílias de bairros na beira do rio, o que fez o prefeito do Município, Rodrigo Damasceno (PT), decretar estado de emergência há mais de um mês.

As famílias afetadas com o desmoronamento estão morando em casa alugadas pela prefeitura do Município.

Luciano Tavares – da redação de ac24horasRio Branco - Acre

Nenhum comentário:

Postar um comentário